quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

O prazer em calar-se


O poder da palavra é incontestável.Não há dúvidas da sua capacidade de criar bem-estar ou repúdio,do seu poder de gerar bênção ou maldição.Da Bíblia aos ditos populares,lá está ela,a palavra,como meio criador do Universo e gerador de discórdia.

Mas foquemos no prazer do não falar.Sim, na satisfação intrínseca que acaba tomando conta de todo o ser. Na imensa alegria em simplesmente calar a boca."Enquanto todos falam,eu me calo.Enquanto reclamam,eu fecho os meus lábios."Em determinadas circunstâncias,tal ação torna-se uma arma tão poderosa,a ponto de proteger vidas.Não se trata de sentir-se fraco ou vencido diante do oponente, mas de vencê-lo por não responder à afronta.

O prazer em calar-se não é conseguido facilmente.Requer força de vontade,ponderação e uma boa dose de paciência. No início nos sentimos fragilizados,simplórios...,no entanto,com o tempo,as menores lágrimas derramadas e as tragédias evitadas compensam todo o esforço.Quem se cala obtém a vitória do domínio próprio,por ter conseguido ultrapassar a muralha do instinto e da raiva, daí o prazer.

Contudo,obviamente,não somos de pedra,temos limites.A beleza do prazer em não falar está em saber usar esse recurso,pois há momentos em que a palavra deve sim se fazer presente. Que saibamos utilizar as armas de que dispomos -o falar e o calar- em prol do bem comum,o que é,realmente,um desafio.E que no calar descubramos o profundo e irrefutável poder do silêncio.

2 comentários:

Égila Passos disse...

"A palavra pode trazer honra ou desonra..."
Gostei muito desse seu texto.
E obrigada por visitar o meu blog!

Đลиy. disse...

Oiê...
Amei o texto ,uma realidade do dia-a-dia.!!!
~bjo*~

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...